quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Duas flores

Em tuas mãos fui deixada,
em vagos olhares descrita,
um norte visualiza
 sua cor favorita.

De perto vi outra flor
sem cheiro e sem vida verde
matéria fria, inverdade
verdadeira fonte de sede

Eu sim e ela jamais,
eu branca e ela vermelha,
eu vida e ela intensão
de se fazer verdadeira.

Eu presenciei o momento,
eu vi que não era por mal,
eu sei que o fundo do peito
é canteiro de flor no quintal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário