segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mundos imaginários.


Talvez um dia o vento sopre pro lado que não faz o cabelo voar no rosto e entrar no olho e na boca 

Era pedir demais.

Foi até o ultimo andar pela escada de incêndio e disse pro vento:
-Sopra isso tudo pro lado que você quiser!
 Mas para de soprar no meu peito!
 Por favor...

Ele soprou em tudo quanto foi lugar.

Na vida a gente é cata-vento,
só não gira quando não é mais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário