sábado, 23 de maio de 2015

Irreconhecível

Cantareiras transbordam
um tom mexicano quase cômico
vira do avesso a dor de dente.

Um dia longo não é o bastante,
uma festa longa não é o bastante,
uma noite mal dormida não é o bastante.

Tudo é miseravelmente ridículo e justo.
E tudo que amarra e cega
vira pó num click.

O mundo não é só meu.
A vida é foda pra todo mundo.
Como soa bem...

sábado, 2 de maio de 2015

Nada

Quem era?
onde?
porque?
vem?
quantas?
hoje?
posso?
quer?
bem?
eu?
nós?
ainda?
Sim pra maioria das coisas...

Drama

Eu sei de tudo isso
Eu não acho saldável também,
se eu pudesse eu mudava.

Infinitas vezes meu auto desdém afirmava.

Uma cratera no peito
um choque profundo
tudo que se tem direito
de doer no mundo.


Completa, cava fundo, retorce e trás a tona todo o féu.

Esperando a noite passar,
e os dias,
e as dores,
e os pesos,
e só ficar pensando em como seria se não fosse.

Positivamente a intuição  faz resenha sobre os medos.
Nem tão positivamente assim.
INSEGURANÇA.

Como água na mão que só quer ir pro chão e insiste em passar pelos dedos.