sexta-feira, 27 de maio de 2011

Não volte.

Não volte mais
não traga seu sorriso
acolhedor e sincero
que já ludibriou minhas emoções.

Não olhe mais
com seus olhos de cigana
que insistem em chorar
pelo leite que você mesma derramou.

Não finja que mudou
só para parecer mais atraente
como seu eu fosse me esquecer
tudo o que passou.

Eu sei que você sofre,
não acho que seja falso,
eu também sofro e,
não sei,
mas acho que essa é a melhor maneira de sofrer



Longe de você,
do seu sorriso,
dos seus olhos e
da sua aura que brilha
e que me faria facilmente mudar de ideia.
 
Mesmo eu sabendo que tudo isso é um erro.

Não há como permanecer por perto,
não há uma maneira segura de fazê-lo
não é tão simples.

Não haja como se fosse culpa minha,
como se eu quisesse tudo isso,
todo esse fel que não sai da boca,
dos olhos, das lembranças
e do leite que você derramou.

Um comentário:

  1. Vendo os meus poemas que te vestem e os teus que te refletem, tento criar um confuso mosaico que me oriente.

    Tentativa vã, mas eternamente atraente.

    ResponderExcluir