terça-feira, 5 de abril de 2011

Morena menina

Menina que trás melanina no seu andar
Menina que alucina e até faz chorar
quero te ver pequenina nos braços meus
e parar na esquina,
e até a ruína dizer que sou teu

Morena e malvada donzela
fica na janela a espreitar os amores
da cor da canela, ninguém é tão bela
te fazem perfeita bondosos rumores

O dia todo me vem a cabeça,
e mesmo pedindo para que me esqueça
me trás o anceio do seu sabor

seus olhos envolvem os meus
retorcem o meu bem-estar
fazem a vida mudar
e aquecem com seu calor

Emana cores e veste flores
o seu mundo é todo sensações
E dá pavores constrangedores
mostra-me um pouco das tuas paixões

Não foge agora e deixa de fora
essa tua preguiça de amar
já passa da hora, não vou embora
vem de pressa, vem se soltar.

Um comentário: